TADEU VENERI, A ESTRELA SOLITÁRIA DO PT NAS ELEIÇÕES 2016

Amanda Cardoso, Gabriel Abreu, Joyce Franco e Rodolfo Egito (*)

Na reta final da campanha eleitoral 2016, Tadeu Veneri busca reacender a estrela do Partido dos Trabalhadores (PT) em Curitiba e tem utilizado, principalmente, as redes sociais para tentar alavancar sua candidatura junto à juventude petista que, até então, não parecia muito empolgada. O foco é tentar uma “arrancada rumo ao segundo turno”, mas a última pesquisa divulgada pelo Ibope em 19 de setembro mostra que seria preciso muito mais que uma arrancada para superar os míseros 4% das intenções de voto que Veneri recebeu.

Filiado ao PT desde 1988, o deputado estadual Antonio Tadeu Veneri vem atuando politicamente desde a década de 70, quando participava do movimento sindical enquanto ainda trabalhava no Banco do Brasil. Atualmente no seu quarto mandato na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), o parlamentar é presidente da Comissão Permanente de Direitos Humanos, membro da Comissão de Finanças e suplente da Comissão de Constituição e Justiça.

Durante sua caminhada política, Veneri foi vereador em Curitiba, exercendo o cargo entre 1995 e 2002. Em 2003, deu início ao primeiro mandato na ALEP, onde efetuou suas principais realizações políticas e está até este momento. No Legislativo, o candidato atuou em diversos projetos e leis focando, sobretudo, na classe trabalhadora e na fiscalização dos poderes. Ele trouxe ao debate assuntos como o assédio moral no serviço público, plano de carreira dos professores estaduais, autonomia sindical, excesso de privilégios dados aos parlamentares, transparência nos cargos dos três poderes e a luta contra auxílios dados aos magistrados.

Em 2013 o deputado assumiu liderança do bloco de oposição da ALEP (cargo que vem exercendo novamente durante seu novo mandato) e em 2014 foi designado como líder da bancada do PT onde, segundo entrevista dada à Gazeta do Povo, aprofundou sua posição no bloco oposicionista.

veneri Veneri junto a eleitores em evento do Santuário N.Senhora do Carmo. Foto: Amanda Cardoso

CAMPANHA X FORA DILMA

Em meio ao cenário político no qual a ex-presidenta Dilma Rousseff, do mesmo partido do candidato, sofreu o processo de impeachment e o próprio Partido dos Trabalhadores vem recebendo críticas, tendo lideranças indiciadas em inquéritos, participado de diferentes polêmicas e está sob forte holofote da mídia, Tadeu Veneri não se abala ao receber perguntas que não sejam apenas sobre seus projetos e planos de governo. Ele responde muitas questões sobre a Operação Lava-Jato e o juiz Sérgio Moro, o processo de impeachment e as escolhas do Partido dos Trabalhadores.

Por ocasião da homologação de sua candidatura, no dia 30 de julho, Veneri reconheceu que o partido está sim vivendo uma fase de dificuldades, mas que está pronto para enfrentá-las de frente. Em seu discurso, o deputado reforçou: “Não será uma candidatura fácil. Será uma candidatura de confronto, uma candidatura de coragem […] A covardia e a omissão não são a marca deste partido. Quem está aqui não fica embaixo da marquise esperando a chuva passar.” O parlamentar lançou sua candidatura com confiança em uma chapa “puro-sangue”, e tem como vice o advogado trabalhista Nasser Ahmad Alan.

Questionado sobre o processo de escolha do partido que – diferentemente das eleições de 2012 quando o PT apoiou Gustavo Fruet (atual prefeito e candidato pelo PDT) – optou por não fazer coligações e lançar uma candidatura própria neste ano, Tadeu Veneri conta que com as dificuldades de diálogo e implantação de projetos com a atual prefeitura ficou claro para o PT a necessidade de lançar uma candidatura própria e que vem trabalhando nela há cerca de um ano e meio: “(fazer coligações) é um problema que o PT teve há muito tempo, a gestão do PT sempre fez alianças que eu, particularmente, acho um desastre. Se alia com Deus e o mundo e depois não consegue tocar absolutamente nada”.

Recentemente, Tadeu Veneri dedicou um programa no horário eleitoral para falar sobre a denúncia que o Ministério Público Federal (MPF) fez do ex-presidente Lula. Questionado sobre a escolha de utilizar seu tempo de televisão em defesa do ex-presidente, o candidato disse que, nas últimas semanas, o que tem existido é uma tentativa de desestabilizar o processo eleitoral e, mesmo que não seja essa a intenção, é inadmissível que pessoas sejam presas sem provas concretas. Ele alega não entender como os procuradores da Operação Lava Jato encontram Lula e sua família, mas dizem não encontrar as famílias de outros citados, como é o caso do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Segundo ele, “há um direcionamento explícito no processo, mesmo que não tenha sido essa intenção”.

Abordado por alguns eleitores que fizeram elogios a ele, mas criticaram seu partido, apontando, inclusive, a perda de sua credibilidade por continuar no PT, Veneri responde com uma brincadeira, comparando o partido ao um time de futebol, que não deve ser trocado. Ele também ressalta a existência de atos de corrupção em diversos partidos e defende que se deve responsabilizar quem cometeu tais crimes, baseado em provas concretas e não perseguir ou culpar todo um trabalho de anos. Quando fala, tanto com eleitores quanto com a imprensa, Tadeu se mostra cordial, paciente e extremamente convicto do trabalho de seu partido e suas escolhas.

 

PROPOSTAS DA CAMPANHA

Nomeada como “Quem são os donos da cidade?” a candidatura tem três principais bases para a estrutura da cidade melhorar: Coleta e distribuição de lixo, Transporte público e Especulação Imobiliária. Segundo Veneri, esses eixos são dominados pelas mesmas famílias há anos e essas concessões precisam ser investigadas, regulamentadas e fiscalizadas, para que não ocorra “um aproveitamento do povo sobre um serviço que é público. Ou para que as grandes construtoras não soneguem valores referentes ao IPTU que deveria ser progressivo. ”

HABITAÇÃO

O candidato fala bastante nas questões de moradia, defendendo que não falta espaço na cidade de Curitiba, mas que é necessária uma boa gestão desses locais. Dentre as principais propostas para melhorar a qualidade de vida e a oferta de moradia digna aos mais pobres, Tadeu Veneri defende a criação de programas como o Aluguel Social, revisão das funções da COHAB, utilização dos imóveis ociosos e regularização fundiária.

Veneri também fala em Zonas Especiais de Interesse Social e diferencia esse projeto da regularização fundiária, que é regulamentar a situação de famílias que já têm um terreno, uma casa. Ele reforça que as zonas especiais estão previstas no Estatuto da Cidade e cita o exemplo de um prédio no centro de Curitiba, próximo à Universidade Federal do Paraná que está “há 20 anos sendo construído e feito a partir dali todo um trabalho para que seja concluído e seja declarado de interesse social.”

TRANSPORTE PÚBLICO

Para melhorar a mobilidade urbana, o programa do PT prevê uma série de alternativas. Segundo Veneri, “não é possível ter uma cidade com problemas estruturais no ponto de vista de transporte, que não consegue fazer um bilhete único e aberto”. Ele defende também a reintegração com o sistema metropolitano, a utilização de recursos de publicidade nos ônibus para financiar o passe livre para estudantes e a revisão do modelo de contratação do serviço buscando reduzir o valor das tarifas.

O candidato afirma que parece existir “um complô, um grupo de pessoas que controla a cidade” e que sem o enfrentamento desse monopólio é desnecessária a realização de eleições.

DIREITOS HUMANOS

No que tange às questões de Direitos Humanos e Minorias, área que Veneri se aproximou em virtude da Comissão que preside como deputado estadual, ele enfatiza que é necessário construir uma cidade boa para todos. Em sua opinião, não é possível que em Curitiba existam 382 áreas de exclusão; que mulheres sejam diariamente espancadas e “só uma ou duas pousadas para receber pessoas em situação de risco”.

No site da campanha é possível encontrar o Programa de Governo completo e também os destaques de cada segmento, de forma clara e didática. Outro ponto positivo é a especificidade das propostas nas diversas áreas, que foram construídas em conjunto com entidades representativas e a população. Constam tópicos como Segurança, Planejamento, Assistência Social, Políticas LGBT, Arte e Cultura, Educação, Acessibilidade, entre outras.

 

TADEU VENERI NA COMUNIDADE

Em um evento promovido pelo Setor Pastoral Boqueirão da Arquidiocese de Curitiba, no dia 27 de setembro, com o objetivo de apresentar para a comunidade dos bairros Boqueirão, Uberaba, Alto Boqueirão e Vila Hauer o que os candidatos à prefeitura têm como proposta para a região, foi possível acompanhar de perto o candidato e sua relação com a comunidade.

A expectativa era de uma recepção conturbada e possivelmente hostil, em virtude no momento que o Partido dos Trabalhadores vive, com sua popularidade em decadência. Entretanto, fora o pedido de fotos de algumas crianças e adolescentes, poucos pareciam saber quem é Tadeu Veneri. A postura perante a comunidade presente foi discreta, diferentemente de candidatos como Requião Filho, que cumprimentou a maior parte das pessoas.  Veneri apenas entregou alguns adesivos aos que o procuravam e aproveitou para degustar um pastel junto com seu filho.

O formato do evento previa um tempo de 10 minutos para cada candidato discorrer sobre seus conhecimentos e propostas para os bairros, com ênfase nas políticas para a família. Todos foram convidados para o evento, porém apenas 5 compareceram: Tadeu Veneri (PT), Requião Filho (PMDB), Xênia Mello (PSOL), Gustavo Fruet (PDT) e Ademar Pereira (PROS). Rafael Grega (PMN) enviou apenas seus “porta bandeiras” para dominar a entrada da igreja, mas não compareceu ao evento, assim como Maria Victória (PP). Já o candidado Ney Leprevost (PSD) chegou atrasado, não podendo fazer o uso da palavra.

veneri-na-igreja Candidatos em momento de oração no Santuário Nossa Senhora do Carmo. Da esquerda para direita: Requião Filho (PMDB), Xênia Mello (PSOL), Tadeu Veneri (PT), Ademar Pereira (PROS) e Gustavo Fruet (PDT). Foto: Gabriel Abreu

Quando o mediador do debate anunciou o nome do candidato Gustavo Fruet, uma parte da plateia respondeu com palavras de ordem chamando-o de “petralha”, “comunista”, “ladrão”, entre outras. Já na hora da fala de do candidato Tadeu Veneri, não houve nenhuma reação dos presentes que fosse diferente das palmas dadas para os demais candidatos.

Em sua fala, Veneri destacou a necessidade de novos Centros Municipais de Educação Integral (CMEI’s) em toda a cidade. E abordou as necessárias adequações nos horários das audiências públicas nos bairros, para que não ocorram às 16 horas, horário que “o trabalhador não pode participar”. Também convidou a comunidade a acessar os portais da transparência para conhecer os orçamentos da cidade e ajudar fiscalização dos gastos públicos.

(*) Alunos de Comunicação Organizacional

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s