Empresários juniores movimentam ecossistema em Curitiba

Por Alcilaine de Macedo e Cristiano Sousa (*)

Foco no resultado para vencer os desafios e empreendedorismo colaborativo guiam os passos do Movimento Empresa Júnior (MEJ). Esses e outros assuntos foram pauta do Curitiba Júnior, evento promovido pela Federação das Empresas Juniores do Estado do Paraná (Fejepar), no começo deste mês (08/04), na capital paranaense.

O Setor de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Paraná (UFPR), no Jardim Botânico, sediou o encontro, que reuniu mais de 300 jovens universitários de todas as regiões do Estado, que atuam como empresários juniores. Juntos, eles formam uma rede, que compartilha dos mesmos ideais e objetivos, e são responsáveis pelo fortalecimento da estrutura do MEJ estadual, com impacto significativo em nível regional, nacional e global.

Empresários juniores em momento de construção de case compartilhado (Foto: Cristiano Sousa)

Voltado para a capacitação em vendas e estratégia, o Curitiba Júnior buscou alinhar e estimular o comprometimento dos empresários juniores. O diretor presidente da Fejepar, Matheus Arruda, disse que o evento é o start para discutir o ecossistema paranaense e, a partir dessa interação, realizar mais e melhores projetos. “Trouxemos capacitação, cases e pessoas do mercado, que atuam na área de vendas, para os participantes traçarem ações, metas e desafios para suas EJs”, afirmou. Ele compartilhou os resultados alcançados pelas EJs, em 2016, no Estado: a Fejepar encerrou o ano passado com 34 EJs federadas, 314 projetos executados e 112 micro e pequenas empresas (MPEs) atendidas. Segundo Matheus, esses números representam um faturamento em torno de R$ 531 mil.

Para 2017, as projeções são ousadas. “Pretendemos fechar o ano com 54 EJs federadas, impactar mais de 300 MPEs e faturar R$ 1,2 milhão, com 628 projetos”, declarou o diretor presidente. Para tanto, ele pontuou que a Federação atua, neste ano, com um programa de aproximação de EJs não federadas, a fim de “crescer cada vez esse número (de EJs), para trazer mais empresas juniores para a rede Fejepar”.

Matheus Arruda –
Diretor presidente da Fejepar (Foto: Cristiano Sousa)

Elias Dagostini, estudante de Engenharia Mecânica, reconhece que o Curitiba JR contribuiu para ampliar a visão sobre o MEJ e evidenciar o impacto do Movimento na economia brasileira. “Nos vários momentos de reflexão em prol do Movimento, passei a pensar mais nas outras EJs e como posso ajudá-las a crescer. Aprendi muito a respeito de prospecção e pesquisa de mercado”, completou o empresário júnior, que atua como assessor de Marketing na H7 Pesquisa & Desenvolvimento, EJ da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Câmpus Pato Branco, no Sudoeste do Estado.

Os participantes do Curitiba Júnior também foram instigados a discutir e refletir sobre outros assuntos pertinentes, tais como: economia, educação, empreendedorismo, política e sociedade. Além disso, os empresários juniores receberam benchmarking orientado por profissionais do mercado, nos seguintes temas: conhecimento de mercado; marketing estratégico; negociação; prospecção ativa; e validação de modelo de negócios.

Desafio Endeavor: elaboração de planos de ação para solucionar dificuldades das EJs na área de vendas (Foto: Cristiano Sousa)

O ápice do evento ocorreu durante o Desafio Endeavor, momento em que cada EJ elaborou um Plano de Ação, para solucionar suas principais dificuldades na área de vendas. As EJs foram avaliadas por representantes da Endeavor Brasil, uma das maiores organizações de apoio ao empreendedorismo de alto impacto. Como critérios para avaliação dos planos, eles consideraram aplicabilidade, clareza, possibilidade de resultado e análise detalhada de metas.

As EJs Agro JR Consultoria (Agronomia, Universidade Estadual de Maringá – UEM), Dinâmica Consultoria (Engenharia de Produção, UEM), EJEQ (Engenharia Química, UFPR) e Semear Consultoria Júnior (Agronomia, UFPR) se destacaram em todos esses quesitos e são as finalistas no Desafio Endeavor. Elas estão concorrendo a uma mentoria no processo de vendas com a empresa NNS2U, especializada na área. O resultado será divulgado pela Fejepar, ainda neste mês de abril.

Movimento Empresa Júnior (MEJ)

As organizações empresariais e institucionais, cada vez mais, valorizam o perfil empreendedor dos empresários juniores. Além de fortalecer o papel do Movimento Empresa Júnior (MEJ) no contexto socioeconômico, esse fato evidencia o potencial desses futuros profissionais, principalmente por meio do alcance de resultados expressivos.

No Brasil, atualmente, o MEJ é composto por mais de 11 mil estudantes, que buscam um método mais prático para capacitar-se durante o período da faculdade. De acordo com dados da Brasil Júnior, Confederação Nacional das Empresas Juniores, a quantidade de EJs federadas no País saltou de 311, em 2015, para 438, em 2016, o que representa um crescimento de 37%.

Esse resultado refletiu, também, na quantidade de projetos atendidos, que aumentou de 2.300 para 6.900, nos respectivos anos, ou seja, uma alavancagem em torno de 137%. Consequentemente, se comparado um ano e outro, o faturamento saltou de R$ 6,7 milhões para o montante de R$ 11,1 milhões, equivalente a 74,4% de variação positiva no resultado.

Gabriel Benevides (Vice-Presidente de Gente e Gestão da Brasil Júnior) (Foto: Cristiano Sousa)

Em entrevista exclusiva para a AG Comunique, o vice-presidente de Gente e Gestão da Brasil Júnior, Gabriel Benevides, ratificou esses números e explicou que o MEJ está, diretamente, ligado à formação de pessoas. “Nossa missão é formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o País. O MEJ proporciona uma vivência prática para os estudantes de graduação, por meio da realização de projetos e da gestão das empresas juniores”, concluiu o gestor, destacando que “os próprios estudantes gerenciam tudo e desenvolvem a cultura empreendedora”.

Empresas Juniores da UTFPR – Câmpus Curitiba

A UTFPR dispõe de várias empresas juniores, vinculadas aos mais diversos cursos de graduação. Nos respectivos campi, essas EJs contam com o apoio institucional da Diretoria de Relações Empresariais e Comunitárias (Direc), por meio do Programa de Empreendedorismo e Inovação (Proem).

No Câmpus Curitiba, o ecossistema é movimentado pelas seguintes EJs: Econsultoria (multidisciplinar); Estalo (Design); Lumier Consultoria (Administração); Lumo (Comunicação Organizacional e Letras); Tetris (Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo); e UT Júnior Consultoria Mecânica (Engenharia Mecânica).

Equipe H7 Pesquisa & Desenvolvimento – EJ de Engenharia Mecânica da UTFPR – Câmpus Pato Branco

(*) Alcilaine e Cristiano são estudantes de Comunicação Organizacional na UTFPR – Câmpus Curitiba. Participaram do Curitiba Júnior pelas EJs Lumo e Econsultoria, respectivamente.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s