Enquanto o sono não vem

Distúrbios do sono: entenda suas causas e tratamentos

Reportagem de Caroline Dallagrana, Danilo Siqueira, Giulia Boiko, Luísa Sampaio e Naara Martins (*)

Quantas vezes você já perdeu uma noite de sono estudando para uma prova que teria no dia seguinte ou realizando trabalhos para seu chefe? Ou então não conseguiu dormir por problemas pessoais e insônia? A rotina agitada dos tempos atuais raramente permite que uma pessoa durma tempo suficiente para sentir-se descansada. Tantas atividades fazem com que o sono fique em segundo plano e não seja uma prioridade como deveria.

Dormir com aparelhos eletrônicos ligados, como celular e computador, atrapalha a qualidade do sono. Recorrer à medicamentos para escapar da fadiga e dar conta das atividades diárias não é uma boa ideia, pois pode trazer diversos efeitos colaterais, além de causar dependência.

Para que uma noite seja considerada bem dormida, cinco etapas do sono são essenciais. Elas compõem um ciclo que dura em média 1h40, que recomeça após esse completado esse período de tempo, ocorrendo, assim, em média, seis vezes durante a noite. Na etapa inicial, o sono é leve e o indivíduo pode ser acordado facilmente, porém seus movimentos são desacelerados. Na segunda fase, o movimento dos olhos são cessados e as ondas cerebrais ficam mais lentas, o corpo esfria e os músculos entram em estágio de relaxamento. A terceira e quarta fase do sono são o momento do sono profundo, onde as ondas cerebrais trabalham da forma mais lenta possível e, se acordada, a pessoa sente-se fraca e desorientada. A quinta e última fase é chamada de REM, sigla em inglês que significa Rápido Movimento dos Olhos. É nela em que os sonhos acontecem, a respiração torna-se rápida, irregular e superficial, os olhos movem-se rapidamente, e os músculos se tornam imóveis. Nessa fase, o ritmo cardíaco aumenta, assim como a pressão arterial.

Infográfico - Ciclo do sono

Infográfico Ciclo do Sono (Fonte: AG Comunique)

Continue reading

NOVEMBRO AZUL COMBATE CÂNCER DE PRÓSTATA

Anneliege Hessel, Igor Pagliuso, Itana Sued, Leonardo Sousa, Tariana Zacariotti (*)

Novembro Azul é uma campanha de conscientização realizada por diversas entidades, nos meses de novembro, dirigida à sociedade, em especial, aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata. Surgiu em 2003, na Austrália aproveitando-se das comemorações ao Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata, data comemorada em 17 de novembro, que foi unificada a comemoração do Dia Internacional do Homem (19 de novembro) data que teve início em 1999 com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU).

No Brasil, a data foi trazida pelo Instituto Lado a Lado pela Vida com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao urologista fazer o exame para diagnosticar o câncer de próstata. Em 2014, o Instituto realizou 2.200 ações em todo o país como a iluminação de pontos turísticos, adesão de celebridades, ativações em estádios de futebol, corridas de rua, além de palestras e intervenções em eventos populares e pedágios nas estradas.

cancer

Continue reading

TERAPIA ALTERNATIVA: O CONSUMO DE ERVAS MEDICINAIS

Cristiano Sousa, Jessica Maranho, Kamila Silva, Simone Adams e Tarcila Garcia (*)

 

Nos últimos anos, em nível global, a indústria farmacêutica adquiriu relevância incalculável na sociedade, especialmente devido à força do capitalismo. Porém, ao longo da história da humanidade, a preocupação com a cura de doenças sempre foi uma constante. Pode-se dizer que, tão antigo quanto o aparecimento do homem, talvez seja o uso de plantas e de ervas como medicamento. Atualmente, essa prática faz parte de um amplo movimento denominado terapia complementar ou terapia alternativa.

Diferentemente dos fitoterápicos, as plantas medicinais são aquelas comprovadamente capazes de curar doenças ou de aliviar sintomas, e que somam longa tradição de uso como medicamento, em meio à população. Os fitoterápicos são remédios industrializados, que fazem uso de plantas medicinais como matéria-prima. Esse processo de beneficiamento evita contaminações por agrotóxicos e substâncias estranhas, garantindo qualidade e eficácia na aplicação da droga.

vendadeervasComercialização de ervas e plantas medicinais em Curitiba

Continue reading